terça-feira, 11 de janeiro de 2022

Doutora Paz: a engenheira missionária que carrega o propósito no nome

 


Autora publica livro "Prazer em Ser Humano", com proposta de acessar a potencialidade humana e desenvolver uma racionalidade saudável

“Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz. Você pode dizer que sou um sonhador, mas não sou o único. Eu espero que algum dia você se junte a nós”. A letra de Imagine, canção de John Lennon que se tornou um hino pela paz, invadiu a vida da escritora que carrega a missão no nome. 

Em Prazer em Ser Humano, a autora aborda, sem temer controvérsias, o desenvolvimento humano, o convívio interpessoal benéfico, a sustentabilidade ambiental e o livre-arbítrio da racionalidade saudável que se dá quando acessamos o conhecimento via interioridade, e o refletimos em reflexões e gestos individuais que constroem a paz e a felicidade. É o que ela chama de qualificação do humano. “A tecnologia, as pesquisas e todos os nossos conhecimentos são valiosos se e quando nos permitem a vivência e a promoção da paz”, afirma. 

Como engenheira, Maria Paz chegou ao máximo grau acadêmico e, para melhorar a vida das pessoas de forma prática, atuou por mais de duas décadas no ensino e na pesquisa por melhores condições de trabalho e de desenvolvimento ambientalmente sustentável. Na juventude, foi missionária franciscana leiga e se especializou em Pedagogia Religiosa – Teologia.  

Dentre os 12 capítulos escritos com uma linguagem precisa, terapêutica e de fácil leitura, Maria Paz propõe transformações significativas em cada indivíduo, seja por métodos para favorecer a criatividade e o comando da própria vida, quanto por reflexões para perceber com lucidez o que acontece e começar a construir circuitos cerebrais de emoções positivas com a racionalidade integral.

Contudo, longe de ser uma sonhadora, a autora paraibana traz a praticidade da engenharia para harmonizar a vida humana, em um livro que é feito de vivência, artigos científicos e de seis anos de pesquisa transdisciplinar: dos autores clássicos aos contemporâneos; de Platão e Agostinho a Amit Goswami; de Cora Coralina a Peter Diamandis. Dessa forma, a obra transita por temas como mudanças climáticas, inteligência artificial e renda básica universal, ao mesmo tempo em que aborda questões profundas do ser humano como a descoberta do propósito único de cada um. 

Com objetividade, Doutora Paz afirma que não há fórmulas prontas para alcançar a felicidade, e que cada leitor, poderá escolher se o livro será uma leitura externa na qual adquirirá conhecimentos relevantes para a vida ou, um processo profundo de cura e desenvolvimento humano ao resgatar na interioridade a sua essência e a felicidade possível.

O que me faz sentir vivo e pleno? Quem sou eu? Como ser realmente feliz? O que sabemos? Estas são algumas das questões abordadas em Prazer em Ser Humano que possibilitarão um salto positivo no desenvolvimento pessoal e farão o leitor redescobrir o gosto de viver. Experimente!

 

Ficha Técnica:  
Título: Prazer em Ser Humano  
Autora: Maria Paz  
Edição: 1ª, 2021  
ASBN: B09M69QYYV  
ISBN: 978-65-00-35158-3
Páginas: 192 (eBook) e 260 (físico)  
Preço do digital: $ 9,99 
Preço do físico: $ 34,60 na UICLAP
Onde comprar: Amazon  e  Prazer em Ser Humano ⋆ Loja Uiclap


Sinopse: Um convite irrecusável para te resgatar e vitalizar. Este livro é uma guinada de vida e felicidade. Ele une o clássico ao contemporâneo despertando a nossa capacidade inata para significar com verdade, criatividade e amor.  
Ele aborda demandas atuais, como a Inteligência Artificial e a Renda Básica Universal, e trata de questões profundas do ser humano como a descoberta do propósito único de cada um e a felicidade de se tornar uma pessoa desperta.   
Como leitura, este livro te proporcionará um conhecimento valioso, bibliograficamente fundamentado em seis anos de pesquisa e vivência. No entanto, é como processo que ele possibilitará um salto positivo em teu desenvolvimento pessoal que te fará redescobrir o gosto de viver e o salutar e precioso prazer em ser humano.    O que me faz realmente vivo e pleno? Quem sou eu? Como ser feliz? O que sabemos? Descubra isso e muito mais neste livro que não é apenas uma leitura, mas um processo de cura e de realização integral. Leia, reflita, aja e resgate a si mesmo em tua interioridade.

Sobre a autora: Maria Paz há anos vem pesquisando a potencialidade humana para a paz e a felicidade. Sua obra literária se caracteriza pela leveza, fundamentação bibliográfica e qualificação do humano. A autora busca traduzir, de modo acessível e sem deturpação, conhecimentos relevantes, desde Platão até a ciência atual, a fim de resgatar a racionalidade sadia de cada pessoa.
Por formação é engenheira mecânica, engenheira de segurança do trabalho e mestre em Engenharia de Produção (pela UFPB); especialista em Pedagogia Religiosa – Teologia (pela UNIPÊ); doutora com pós-doutorado em Engenharia Civil (pela UFRGS). Possui capacitação em Carisma Missionário Franciscano (pela USF) e em Ecologia (pela UFCE). Conhece o trabalho dos pioneiros da Física Quântica e a analogia quântica idealista. Atuou por mais de duas décadas no ensino e na pesquisa de melhores condições de trabalho para todos e de desenvolvimento ambientalmente sustentável. 
Com este amplo leque de conhecimentos, a autora apresenta o livro “Prazer em Ser Humano”, que é fruto de seis anos de pesquisa bibliográfica transdisciplinar, dedicada lapidação e vivência visando tornar instigantes e acessíveis conhecimentos cruciais, necessários e complexos, para todos que buscam o sentido da vida e a construção da felicidade humana possível.  

Redes Sociais  

Site | Instagram    

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Passo de Arte In Concert está com inscrições abertas

Divulgação

Indaiatuba sedia evento que reúne grupos de dança da região para apresentações gratuitas

Indaiatuba recebe, este mês, o Passo de Arte in Concert, que abre espaço para grupos de dança se apresentarem em uma programação aberta à comunidade, e de entrada gratuita. O evento acontecerá nos dias 15 e 16, no Museu ‘Antônio Reginaldo Geiss’ (Casarão Pau Preto). As inscrições para companhias que desejam participar vão até o dia 10.

Para participar do evento, os grupos de dança interessados devem enviar as informações sobre as coreografias escolhidas para o Instituto Passo de Arte pelo e-mail contato@passodearte.com.br. Como o objetivo é fomentar o cenário desta arte na região, bem como proporcionar oportunidades para novos grupos exporem seus trabalhos, a inscrição também é realizada sem nenhum custo. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato através do telefone (11) 99480 8501.

ABERTURA Além dos inscritoscada dia do In Concert receberá uma companhia de dança convidada. No dia 15, acontece o espetáculo Politicamente (IN)Correto com a Cia. Kahal. A coreografia, assinada por Henry Camargo, aborda a multiplicidade de olhares acerca de assuntos cotidianos, a partir de uma perspectiva de sociedade muito diversificada e com 'filtros' desiguais. Com isso, reflexiona-se ainda sobre como enxergar o próximo de forma genuína é uma tarefa árdua, mas enxergar seu próprio ser também exige muita prática.

Já a Cia. Avant Scene retrata, no dia 16, a diversidade de pensamentos e emoções que tomam a mente das pessoas ao longo da madrugada. Por meio da coreografia Madrugada Inquieta, assinada por Laura Moeckel, uma mescla de conclusões, anseios e memórias são personificados e vêm à tona por meio da dança.

COMO ASSISTIR? O evento será promovido no dia 15 (sábado) das 15h às 18h; e no dia 16 (domingo) das 10h às 13h. A entrada é gratuita, porém é necessário levar comprovante de esquema vacinal de Covid-19 completo (duas doses ou dose única), ou pelo menos uma dose da vacina, com apresentação de resultado negativo de teste para coronavírus do tipo PCR, realizado até 48 horas, ou do tipo antígeno, feito em até 24 horas antes da data do concerto. Menores de 12 anos devem respeitar a obrigatoriedade do uso de máscaras e demais protocolos de prevenção à Covid-19.

Viabilizado pelo ProAC ICMS (Programa Estadual de Apoio à Cultura), por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São, o Passo de Arte In Concert é produzido pelo Instituto Passo de Arte, com apoio da Prefeitura Municipal de Indaiatuba, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. O Museu Municipal 'Antônio Reginaldo Geiss’ (Casarão Pau Preto) fica na rua Pedro Gonçalves, 477, Centro, Indaiatuba (SP).

VÍDEOS
Cia. Kahal - clique aqui 
Cia. Avant Scene - clique aqui

SERVIÇO
Passo de Arte In Concert
Data: 15/01 (das 15h às 18h) e 16/01 (das 10h às 13h)
Local: Museu Municipal 'Antônio Reginaldo Geiss’ (Casarão Pau Preto) - rua Pedro Gonçalves, 477, Centro, Indaiatuba (SP) - MAPA AQUI 
Entrada gratuita
Mais informações: (11) 99480 8501 | contato@passodearte.com.br

Sobre o Instituto Passo de Arte

Fundado em 1985 pelos publicitários William Romão Costa e Juliano Rubens de Carvalho, como Star’s Dance, empresa pioneira no Estado de São Paulo a atuar na área de produção e fomento da dança e que se tornou uma das maiores incentivadoras de festivais e veículos de informações do setor. Todo know-how adquirido ao longo das últimas décadas aliado a mudança da direção, que passou a contar com a experiência da ex-bailarina Marisa Pivetta, deu início a realização de eventos próprios, que se tornaram referências de qualidade e técnica em todo o Estado de São Paulo. Entre eles, vale mencionar o Festival MPB Dança, com músicas de compositores brasileiros, e ABC Dança. Além disso, foi criada uma cooperativa para a produção de ballet de repertório, tais como O Quebra Nozes, Coppélia e Cinderela. Toda essa experiência resultou no projeto Passo de Arte, que produz competições de dança em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Espírito Santo.

Site www.passodearte.com.br | Facebook/Instagram @passodearte | Youtube: passoarte 

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Amor, Otário Amor: crônicas sobre relacionamentos na era da internet

Prefaciado por Luis Fernando Verissimo, Hélio de la Penã e Fred Elboni, livro do escritor e roteirista Léo Luz reúne 48 textos sobre o amor nos tempos modernos

Amor, Otário Amor é um panorama bem-humorado e um tanto pessimista dos casais aparentemente felizes nas redes sociais, mas que mal se falam na vida real. A coletânea de 48 crônicas do roteirista e escritor Léo Luz são um retrato do quanto a vida a dois no mundo 2.0 pode ser engraçada e até mesmo trágica.

Prefaciado por Luis Fernando Verissimo, Hélio de la Penã e Fred Elboni, a obra do roteirista da terceira temporada do “Vai que Cola” e colaborador de roteiro do filme “Até que a Sorte Nos Separe 3” traz evidências autobiográficas. Léo Luz transforma as experiências e fracassos amorosos em poesia, ao exemplo de “Nada de casalzinho”, “Namore um cara que escreve” e “O amor nunca é silêncio”.

“Por fim, namorar um cara que escreve é namorar
um cara descolado, que sabe que “namore um cara que escreve”
não é a forma correta, e sim “namore um cara que escreva”,
mesmo assim ele acha que do primeiro jeito fica muito
mais bonitinho e descolado.”
 

Léo escreve sobre quase tudo que envolve o mundo dos apaixonados: ciúme, loucuras de amor, traição, saudade... E são os diálogos ágeis que permitem o leitor a quase palpar as sensações experimentadas pelos personagens, como se fizesse parte da cena. “Desnudo o idiota apaixonado interior de todos nós”, confirma.

Especialista em falar sobre amor, ou os próprios fracassos amorosos, Léo Luz também é autor de “Cartas para Anna”. A obra reúne cartas, bilhetes e e-mails que o roteirista escreveu para a ex-namorada durante e após o fim do relacionamento. Intensos, explosivos, sem censura e com uma pitada de sofrimento, os textos narram a história do casal.

Ficha Técnica
Título
: Amor, Otário Amor
Autor: Léo Luz
ASIN: B08QDS464N 
Páginas: 173 páginas
Formato: eBook
Preço: R$ 7,99
Link de venda:  Amazon

Sobre o autor: Léo Luz é carioca. Roteirista de projetos como “Até que a Sorte nos Separe”, “Vai que cola” e “Parafernalha”, é autor de “Amor, otário amor, livro prefaciado por Luis Fernando Verissimo e “Cartas para Anna”.


Lançamento - O livro maldito de Cipriano



Para começar 2022 com a mesma força que termina 2021, a edição especialíssima foi lançada na virada para que seja a edição de dois anos!

A revista Calafrio tem a honra de apresentar O Livro Maldito de Cipriano! Uma revista produzida pela mente, habilidade e mãos insuperáveis de Eduardo Cardenas. Uma HQ baseada no Universo criado pelo cineasta Rodrigo Aragão, suplementar à trama de seus filmes. Cardenas, diretor de arte de A Mata Negra e O Cemitério das Almas Perdidas, é o artista certo no momento certo, e nas páginas exatas para deslumbrar a todos nós.

Além da HQ totalmente interligada com a saga do referido tomo nos filmes, a edição conta com material extra como:

1) introdução do artista;
2) storyboard de uma sequência de A Mata Negra;
3) texto sobre a utilização do livro como fio condutor da trama dos filmes;
4) a mais permissiva (auto) biografia de um artista que poderão ler.

Material imperdível que está a disposição de todos para adquirirem a partir de já! O Livro Maldito de Cipriano tem 52 páginas no formato 20,5 x 28cm, ao preço de R$25,00. Pode ser comprada nesta página das revistas Calafrio e Mestres do Terror no Facebook, pelo messenger, neste e-mail revistacalafrio@gmail.com, ou em breve nas lojas parceiras, algumas das quais (São Paulo, Rio de Janeiro, Vila Velha, e Fortaleza) seus polpudos pacotes já estão a caminho. 

quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

Campanha para animação de Bob Cuspe concorrer ao Oscar

 

Divulgação

A produtora independente de cinema Coala Filmes, especializada em animação, lançou a campanha de financiamento coletivo Leve um Punk pro Oscar na plataforma Catarse, com o intuito de contribuir para a divulgação da animação Bob Cuspe – Nós não gostamos de gente nos Estados Unidos.

Esse é o primeiro filme em longa-metragem da produtora e apenas o segundo longa feito com a técnica de stop motion de toda a história do cinema Brasileiro, além de ser o único latino americano que está na lista dos possíveis filmes a serem indicados este ano ao Oscar de Melhor Animação.

Bob Cuspe – Nós não gostamos de gente, de Cesar Cabral, traz uma mistura de gêneros, como documentário, comédia e road-movie, e conta a história do protagonista, um velho punk, tentando escapar de um deserto pós-apocalíptico, que na verdade, é um purgatório na mente de seu criador, o cartunista Angeli, que passa por uma crise criativa.

O filme conta com as interpretações de voz de Milhem Cortaz, Paulo Miklos, André Abujamra, Grace Gianoukas e Hugo Possolo e ainda com as vozes de Angeli, Carolina Guaycuru, Toninho Mendes e Laerte.

De acordo com a produtora, sem ajuda do Governo Federal, surgiu essa campanha para tentar continuar levando a arte brasileira para o mundo. Confira na página do Catarse as recompensas e como participar. 

Fonte: https://universohq.com/

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Funarte lança livro da soprano Nádia Figueiredo, 'E por falar em voz...'

Funarte lança livro da soprano Nádia Figueiredo, 'E por falar em voz...'

Sessão de autógrafos será realizada no Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro, em 8 de dezembro, com apresentação da cantora

A Fundação Nacional de Artes – Funarte lança no dia 8 de dezembro, quarta-feira, o livro E por falar em voz...: um manual de boas práticas para quem utiliza a voz como instrumento musical, da cantora Nádia Figueiredo, reconhecida pela extensa trajetória com canto lírico e popular. O lançamento será realizado no Teatro Dulcina, no Centro do Rio de Janeiro (RJ), às 19h, com apresentação de curta duração da soprano, acompanhada do pianista Eduardo Henrique e participação da cantora, atriz e professora Vera do Canto e Mello. Com início às 19h e término às 21h, haverá sessão de autógrafos. O evento tem entrada franca e poderá receber até 300 pessoas (70% da capacidade total do espaço da Funarte), sem necessidade de retirada de senha ou ingresso.

No livro, Nádia Figueiredo compartilha conhecimentos acumulados ao longo da carreira, além de experiências de profissionais reconhecidos no mercado musical e vocal. E por falar em voz aborda temas como técnica vocal, fisiologia vocal, envelhecimento vocal, classificação vocal, saúde vocal e exercícios inéditos para o cantor profissional.

Ricardo Tamura, primeiro tenor brasileiro a cantar no Metropolitan Ópera de Nova York, assina o prefácio, em um trecho de sua publicação ele diz: "Não sendo um 'tratado completo da arte do canto', o resultado — uma narrativa leve e fácil de ler, escrita em linguagem coloquial e espontânea, e relatando as experiências pessoais, boas e ruins, que ela vem tendo com o canto, em sua vida — tem um grande potencial de identificação com o público em geral", completa Tamura em outra parte do prefácio.

A obra conta com participação de nomes como o maestro e pianista Enrico Reggioli, que trabalha com as maiores estrelas da ópera internacional; do tenor italiano Cosimo Panozzo, que foi o último aluno de canto de Luciano Pavarotti; do produtor musical Guto Graça Mello, acostumado a trabalhar com nomes como Roberto Carlos, Milton Nascimento, Gilberto Gil e Maria Bethânia; dos otorrinolaringologistas Andrea Campagnolo e Reinaldo Kazuo Yazaki, especializados em vozes artísticas; da fonoaudióloga Cristiane Magacho; da professora de canto e soprano brasileira Laura de Souza; e do técnico de gravação Alexandre Hang.

A orelha do livro é de autoria de Vera do Canto e Mello, que, além de cantora e atriz, foi professora de canto de artistas como Marisa Monte, Paula Toller, Miguel Falabella e Cláudia Raia. "A autora e cantora Nádia Figueiredo realiza aqui um feito extraordinário, apresentando ao público um livro completo, com abordagens claras sobre respiração, apoio e emissão vocal. As ilustrações foram feitas de forma bela e eficiente. A parte que trata de saúde e classificação vocal é perfeita. É um livro moderno, fácil de ler, com várias curiosidades e informações atuais. Eu realmente fiquei empolgada quando terminei minha leitura", declara Vera em fragmento do texto.

O manual reúne uma série de imagens de artistas com quem Nádia Figueiredo teve a honra de trabalhar, como Gilberto Gil, João Donato, Daniel, Plácido Domingo Jr., João Carlos Assis, Márcio Malard e Antón Carballo. “Existe uma parte autobiográfica, na qual conto um pouco das minhas experiências pessoais, algumas dificuldades que enfrentei com minha voz durante uma turnê e como fiz para recuperá-la. Também divido com o leitor sobre envelhecimento vocal, com o exemplo do meu pai, pois a voz dele foi mudando com a idade. Outra curiosidade que eu compartilho é como eu faço para cantar em outros idiomas. Dou muitas dicas e o livro é recheado de curiosidades”, explica Nádia Figueiredo.

A publicação é lançada por meio da Gerência de Edições, do Centro de Programas Integrados (Cepin) da Funarte.

Sobre Nádia Figueiredo

Cantora e compositora brasileira, Nádia Figueiredo nasceu em Belo Horizonte (MG) e hoje vive no Rio de Janeiro. Começou a cantar e tocar violão popular aos 10 anos. Aos 11, já participava de festivais de música na escola e venceu alguns deles com músicas de sua autoria. Aos 14 anos, começou os estudos de violão clássico. Graças ao timbre e extensão vocal, cantou em palcos nacionais e internacionais, em idiomas como italiano, francês, inglês, espanhol, latim, russo, Esperanto, hindi e hebraico. Em 2008, começou a estudar canto lírico. Atualmente, estuda com a soprano brasileira Laura de Souza. Em 2018, participou de um intensivo de canto lírico em Roma, na Itália, com o maestro Romualdo Savastano.

Em 2013, uma de suas composições, que fala sobre o aquecimento global, foi tema da exposição Avannaa: Imagens e Ícones, no Museu Orient em Moscou, Rússia. No mesmo ano, fez uma participação na novela Amor à Vida, cantando a aria O del mio dolce ardor, da ópera Paride ed Elena, de Christoph Willibald Von Gluck (1714-1787). Em 2014, sua composição em Esperanto ganhou destaque internacional em uma rádio Polonesa, considerada pelo grupo internacional de esperantistas como uma das canções mais bonitas no idioma.

Em novembro de 2016, foi agraciada com a Medalha Maestro Carlos Gomes e o título de Comendadora pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino (SBACE). Em abril de 2017, recebeu a Medalha de Cinquentenário das Forças Internacionais de Paz da ONU. Em maio do mesmo ano, foi convidada para participar da turnê do cantor brasileiro Daniel, na Europa, cantando ao lado dele a canção Con te Partirò, no Coliseu de Lisboa, Coliseu do Porto e Casino Figueira da Foz em Portugal. No mesmo mês, Nádia fez uma turnê por grandes teatros brasileiros ao lado do cantor Plácido Domingo Jr., filho do tenor Plácido Domingo.

Em 2019, lançou seu primeiro álbum pela Biscoito Fino, chamado Meu idioma é o amor, produzido por Guto Graça Mello. O projeto mistura standarts da música internacional, peças clássicas e MPB, defendendo o gênero crossover (junção entre o clássico e popular). O disco conta com participação de Gilberto Gil e João Donato na música A Paz, de autoria dos dois. Em 2021, Nádia foi agraciada com o título de Chanceler Internacional pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino (SBACE).

 

Lançamento do livro
E por falar em voz...
Autora: Nádia Figueiredo
Edições Funarte

Formato: 16x23cm
Nº de páginas: 152
ISBN: 978-65-5845-006-1

Aquisição em todo o Brasil pela Livraria Mário de Andrade (Funarte), pelo e-mail: livraria@funarte.gov.br
Preço: R$ 40

Dia 8 de dezembro de 2021, às 19h
Apresentação de curta duração da cantora e autora Nádia Figueiredo, acompanhada do pianista Eduardo Henrique e participação especial de Vera do Canto e Mello, seguida de sessão de autógrafos

Local: Teatro Dulcina - Rua Alcindo Guanabara, 17 - Centro - Rio de Janeiro (RJ)
Capacidade: 300 pessoas (70% da capacidade total do espaço)

Entrada Franca (sem necessidade de senha ou ingresso)

 

Mais informações para o público

Fundação Nacional de Artes – Funarte | Gerência de Edições: edicoes@funarte.gov.br 

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Direito Digital e Crimes Cibernéticos: Você tem direito autoral sobre o que cria nas redes sociais?

Você tem direito autoral sobre o que cria nas redes sociais?

Por Francisco Gomes Júnior

Com o grande desenvolvimento das mídias sociais surgem questões referentes a direitos oriundos das redes sociais. Inicialmente, devemos ressaltar que todos tem o direito à preservação da própria imagem, ou seja, uma foto sua por exemplo, é um dado pessoal que só pode ser utilizado com sua autorização.

Parece óbvio dizer que as redes sociais devem se submeter às leis como qualquer outro lugar e que, portanto, algo que é ilegal no mundo real também o será no mundo digital. Mas existem questões específicas das redes sobre as quais os usuários manifestam suas dúvidas.

No caso do TikTok, a rede social dos vídeos curtos onde as pessoas cantam e dançam, quais direitos estão envolvidos?

O primeiro fato a ser observado no TikTok é que a música escolhida para dança ou dublagem tem um autor, alguém que detém os direitos sobre ela. Assim, a princípio, deveria a rede pagar pela utilização da música de terceiros, um pagamento de direitos autorais para o ECAD.

O ECAD (Escritório de Arrecadação de Direitos Autorais) é uma entidade privada que no Brasil arrecada valores referentes a direitos autorais de música e os repassa a seus autores. Assim, as rádios, televisões, eventos e festas pagam direitos autorais sobre a execução de músicas, o que também se aplicaria para as redes sociais.

As redes sociais são uma grande oportunidade para novos artistas mostrarem suas músicas e obviamente eles devem ter direitos autorais sobre elas.

As últimas informações dão conta de que o TikTok estaria negociando com o ECAD os critérios e forma de pagamento dos direitos autorais. Já em relação às danças feitas nas redes sociais a discussão é mais complexa.

Nos EUA muitas pessoas moveram processos contra a Epic Games, criadora do jogo Fortnite, alegando que danças feitas por personagens do game copiaria suas danças, anteriormente postadas. Mas a definição por lá foi a de que coreografias não são protegidas por copyright e não geram pagamento de royalties.

Mas e no Brasil uma dança que viraliza no TikTok é protegida pelo direito autoral? O primeiro passo para qualquer discussão é garantir a autoria da coreografia, com seu nome no vídeo indicando que se trata de criação própria.

Nossa legislação sobre direitos autorais protege obras coreográficas e produções audiovisuais desde que se trate de criação intelectual nova. O direito autoral se protege com um registro no ECAD, agora caso se pretenda utilizar de forma empresarial a obra criada, seu autor deve registrá-la perante o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual).

Como tais questões são recentes, cada caso deve ser analisado individualmente. Obras da Internet são muitas vezes registradas através de licenciamento no Creative Commons, plataforma específica para a proteção dos direitos autorais.

As questões são complexas e exigem conhecimento técnico. Se algum direito autoral seu foi violado a recomendação é que procure um advogado que atue na área. Ele fará a primeira avaliação sobre seus direitos e se há provas para algum pedido reparatório, moral ou patrimonial.

 

Francisco Gomes Júnior - Advogado Especialista em Direito Digital e Crimes Cibernéticos. Presidente da Associação de Defesa de Dados Pessoais e do Consumidor (ADDP). Instagram: fgjr 

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Longa "Dentro da Caixinha - Segredo de Criança", terá sessões de pré-estreia em Belo Horizonte e Cataguazes

Longa "Dentro da Caixinha - Segredo de Criança", terá sessões de pré-estreia em Belo Horizonte e Cataguazes

Rodado em Cataguazes, na Zona da Mata Mineira, o mais novo filme de Guilherme Reis, poderá ser conferido em primeira mão durante duas sessões de pré-estreia. O longa, que tem previsão de estrear nos cinemas em 2022, já foi premiado no Festival Internacional CineminhaB como Melhor Longa Infanto-juvenil e Melhor Filme do Festival.

Depois do musical infantil Dentro da Caixinha, um média-metragem lançado em 2016, o cineasta Guilherme Reis continua investindo na pesquisa, desenvolvimento de roteiros e na produção audiovisual voltada para o público infanto-juvenil e prepara atualmente o lançamento do longa Dentro da Caixinha - Segredo de Criança. Rodado em Cataguazes, o filme vem sendo exibido em festivais no Brasil e no exterior. Além dos prêmios de Melhor Longa Infanto-juvenil e Melhor Filme do Festival Internacional CineminhaB, o filme também chegou a ser finalista no Festival Internacional de Cinema Infantil de Moscou. A estreia oficial será apenas em 2022, mas a produção está organizando três sessões de pré-estreia nos próximos dias nas cidades de Belo Horizonte e Cataguazes, que serão as primeiras exibições ao público.

“Dentro da Caixinha – Segredo de criança” foi rodado em julho de 2019, com uma grande diversidade de locações urbanas e rurais da Zona da Mata mineira, como parques, escolas, cachoeiras, fazendas e estradas. Cerca de 50 crianças e adultos da região integraram elenco e figuração, com destaque para Leônidas José Teixeira, que atuou como protagonista nas duas edições.

No elenco, destaque para nomes como Marta Moraes, Alexandre Cioletti, Leônidas José, Manoela Domingos, Cauã Carvalho, Giordano Becheleni, Manuela Baracho, Renato Parara, Nina Oliveira e Bernardo Rachid.

O longa foi viabilizado através do edital "Coinvestimentos Regionais - 1a Etapa", realizado pela Prefeitura de Cataguazes em parceria com o Polo Audiovisual da Zona da Mata e a Ancine, com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. As empresas  patrocinadoras são Energisa, Uni-BH e Unidas. Dentro da Caixinha - Segredo de Criança chegará aos cinemas graças à parceria com a distribuidora Cineart Filmes.

 

:: Sinopse ::

Três irmãos fazem sucesso na escola com as caixinhas da avó, relíquias de família que transportam pessoas para o universo das cantigas de roda. Porém, para decepção das crianças, o pai delas não consegue entrar na brincadeira. Enquanto isso, o objeto desperta a atenção de um ganancioso empresário.

:: Sobre o cineasta ::

Formado em Belas Artes com habilitação em Cinema de Animação pela UFMG e em Comunicação Social pelo Uni-BH, realizou os curtas Jardim das Cores (2008), Bênção (2016), Era Uma Vez... (2007), Manipulação de Massa (2006) e American Movie (2003). Lançou em 2013 seu primeiro longa-metragem, Família. Na sequência vieram os filmes No Vermelho(2015), Dentro da Caixinha(2016), Herança(2018) e Entre Mundos(2019). É diretor da produtora Postura Digital(www.posturadigital.com.br)  onde se dedica a trabalhos autorais e comerciais.

 

:: Ficha técnica “Dentro da Caixinha - Segredo de Criança”::

DIREÇÃO Guilherme Reis

ROTEIRO Caio Ducca e Guilherme Reis

PRODUÇÃO EXECUTIVA Maria Elisa Medeiros e Guilherme Reis

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Maria Elisa Medeiros

GERENTE DE PROJETO Marcelo Braga

PRODUÇÃO LOCAL Babi Piva

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA Sérgio Gomes

DIREÇÃO DE ARTE Heleno Polisseni

FIGURINO Juliano Sá

MAQUIAGEM Érika Peconick

DIREÇÃO MUSICAL Rafael Nelvam

SOM DIRETO Osvaldo Ferreira

DESENHO DE SOM E MIXAGEM Alexandre Martins

ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO Leo Ayres

COREOGRAFIA Fernando Barcellos

PREPARAÇÃO DE ELENCO Marco Andrade e Nathália Braz

ELENCO SECUNDÁRIO João Henrique, Fernanda Catarina, Nathália Braz, Kelly Crifer, Leonardo Quintão, Bia Costa, Lud Caldeira, Matheus Luan, Érick Viana, Pedro Linhares, João Batista Abritta Neto, Maria Vitória Francisco Santos, Maria Rita Ramos Zorzi, Nicole Martins Lacerda Machado, Vitor Fernandes dos Santos Sousa

:: Serviço ::

Pré-estreias “Dentro da Caixinha - Segredo de Criança”

Cataguazes

Dia 03 de dezembro

Horários: 18h

Local: Centro Cultural Humberto Mauro - Rua Cel. Vieira, 10 - Centro - Cataguazes- MG

Entrada franca mediante retirada de ingressos por ordem de chegada e capacidade do espaço considerando isolamento social

Informações: (32) 3429-6479

Dia 04 de dezembro

Horários: 11h

Local: Centro Cultural Humberto Mauro - Rua Cel. Vieira, 10 - Centro - Cataguazes- MG

Entrada franca mediante retirada de ingressos por ordem de chegada e capacidade do espaço considerando isolamento social

Informações: (32) 3429-6479

Belo Horizonte

Dia 08 de dezembro

Horário: 11h

Local: Cineart Boulevard Shopping - Avenida dos Andradas, 3.000 - Santa Efigênia - BH

Ingressos vendidos na bilheteria do cinema 

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Concursos Literáios do mês de Dezembro


 
  

Concursos do Mês - Dezembro de 2021



01.12.2021 - e-Antologia - Poetrix - Goulart Gomes (@ - Poesias)

01.12.2021 - e-Antologia - Distopia - Editora Cyberus (@ - Contos)

01.12.2021 - e-Antologia - Dark Fantasy - Editora Cyberus (@ - Contos)

03.12.2021 - I Concurso de Poesias Hematopoético (#Brasil - @ - $)

08.12.2021 - 1º Concurso Literário da FLAUS (#Sorocaba)

15.12.2021 - Antologia - Volta para tua terra - Editora Urutau (#Portugal - @ - Contos)

15.12.2021 - Antologia - Por trás daquelas grades - Editora Recontando (@ - Contos)

15.12.2021 - Prémio Literário Santos Stockler 2020/2021 - 4ª Edição ($)

16.12.2021 - Porto22 - Coletivo Cultural (@)

17.12.2021 - Prémio Literário Correntes d’Escritas | Papelaria Locus (#JovensEscritores - Contos - $)

20.12.2021 - VI Prémio Internacional de Peças de Teatro para Jovens (@ - $ - Dramaturgia)

21.12.2021 - Antologia - Fronhas Coloridas - Editora Persona (@ - Poemas)

21.12.2021 - Antologia - Olhares Negros - Editora Persona (@)

31.12.2021 - LXIII Jogos Florais de Nova Friburgo (@)

20.01.2022 - 2º Concurso Literatura é coisa de Preto (#Brasil #Negros - Romance - @)

Posted: 27 Nov 2021 06:15 PM PST

- Voltado a autores brasileiros negros
- Livros Inéditos - Romances


Premiação | Direitos Autorais:
- Publicação da obra; 10% do preço de capa

Prazo: 21 de janeiro de 2022


Organização:
Rico Editora

Contato - Mais informações e Dúvidas:
originais@ricoproducoes.com.br

Regulamento | Ficha de Inscrição:
https://ricoproducoes.com.br/e-coisa-de-preto-2a-edicao/


  

21.12.2021 - Antologia - Olhares Negros - Editora Persona (@)

Posted: 27 Nov 2021 06:05 PM PST

- Aberta a autores negros
- Seleção de crônicas

Direitos Autorais:
- Porcentagem do lucro líquido das vendas será dividida entre os autores

Prazo: 21 de dezembro de 2021


Organização:
Editora Persona

Contato - Mais informações e Dúvidas:
personaeditora@gmail.com

Regulamento | Ficha de Inscrição:
https://www.editorapersona.com/post/olhares-negros-cr%C3%B4nicas-da-cidade






  

21.12.2021 - Antologia - Fronhas Coloridas - Editora Persona (@ - Poemas)

Posted: 27 Nov 2021 06:03 PM PST

- Aberta aautores LGBTQIA+
- Seleção de poemas

Direitos Autorais:
- Porcentagem do lucro líquido das vendas será dividida entre os autores

Prazo: 21 de dezembro de 2021


Organização:
Editora Persona

Contato - Mais informações e Dúvidas:
personaeditora@gmail.com

Regulamento | Ficha de Inscrição:
https://www.editorapersona.com/post/fronhas-coloridas-colet%C3%A2nea-de-poemas-homoer%C3%B3ticos











quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Livro infantil ensina para as crianças a importância da aceitação de si e das diferenças

Divulgação

Em uma incrível jornada de autoconhecimento, o solzinho se aventura nas sete cores do arco-íris em busca de sua essência, afinal, "ninguém é igual a ninguém e todo mundo é bonito do seu jeito!".

Regado pela importância da aceitação de si e das diferenças, “O solzinho de todas as cores” (Literare Books International) se firma como um livro de apoio pedagógico infantil contemporâneo. A obra da autora Cristina Martinez trata da importância de sermos e respeitarmos como somos, pois, ninguém é igual a ninguém e cada um é bonito do seu jeito.

Em um caminho de descobertas, o curioso solzinho irá mergulhar num mundo cheio de cores, emoções e sentimentos.

A leitura é dinâmica, cativante e de fácil compreensão para as crianças. Venha você também descobrir e aprender com esta linda história com ilustração de Theo Augusto Tresolavy. 

SOBRE A AUTORA
Cristina Martinez – Nascida no interior de São Paulo, cidade de Ipaussu, desde pequena ama as crianças, plantas e animais. Cresceu, casou e realizou seu sonho de ser mãe, hoje tem um lindo filho que se chama Henrique, a razão de seu viver, tendo sua família como seu porto seguro. Sempre muito estudiosa e apaixonada pelo desenvolvimento infantil, aprimorou seus conhecimentos, fez faculdade de Pedagogia, pós-graduação em Medicina Comportamental pela Universidade Federal São Paulo (UNIFESP), entre outras especializações. Há 19 anos, diretora e mantenedora da Escola de Educação Infantil Ver Crescer, situada em São Paulo. Agora chegou o momento de escrever aos pequenos de todas as idades e embalar a sua criança interior, encorajar a descobrir que ninguém é igual a ninguém e cada um tem a sua beleza.

Ficha Técnica
O solzinho de todas as cores
Autora: Cristina Martinez
Literare Books International – 1ª edição – 56 páginas – 2021
Formato: 20 x 20 cm 
ISBN físico: 9786559221073
ISBN digital: 9786559221363
Loja Literare Books: https://bit.ly/Loja-solzinho





Cristina Martinez Cristina Martinez    
                                                                  Divulgação - Literare Books International


terça-feira, 16 de novembro de 2021

A estátua e a bailarina - 3ª Edição revista

Divulgação

Obra de referência de J.A. Gaiarsa (1920 - 2010) traz conhecimentos essenciais sobre consciência e expressão corporal. As considerações do autor têm sido, através dos tempos, fundamentais no desenvolvimento da psicomotricidade e da psicofisiologia, conceitos inovadores para o sistema sensório-motor, equilíbrio, resistência e, sobretudo, para a comunicação não verbal.

Baseando-se na dialética entre as figuras da estátua – rígida, imóvel, perene – e da bailarina – flexível, espontânea, criativa –, J. A. Gaiarsa escreveu um de seus livros mais fundamentais. No ensaio A estátua e bailarina – 3ª edição revista (336 p., R$ 105,20, Editora Ágora), que apresenta conhecimentos da fisiologia, da neuroanatomia, da mecânica, da cinesiologia, da motricidade e de diversas linhas psicoterápicas, o autor põe o corpo num lugar que sempre lhe foi negado: o de configurador – e por vezes desestabilizador – da personalidade humana. Obra fundamental para terapeutas corporais, educadores somáticos, psicólogos, bailarinos, fisioterapeutas, profissionais de educação física e todos aqueles que se interessam pelo comportamento humano.

Todos os livros de psicologia dinâmica dizem que as pessoas escondem cuidadosa e afanosamente tudo que têm de mau; mais, que temem tudo aquilo que faz sofrer, magoa, dói. Duas mentiras totais. As pessoas escondem sempre o que têm de melhor e fogem sempre da felicidade”, afirma o autor na obra. Para ele, o problema psicoterápico central está em reavivar a plasticidade do paciente, auxiliando-o na arte de cultivar a resposta adequada ante o inesperado.

Falecido em 2010, pouco depois de completar 90 anos de idade, J. A. Gaiarsa deixou inúmeros discípulos e uma legião de fãs de todas as idades. Conhecido como um dos mais iconoclastas psiquiatras brasileiros e pioneiro da psicoterapia corporal no Brasil, tratou de temas como família, sexualidade, educação e relacionamento amorosos.

O autor 

José Angelo Gaiarsa foi um psiquiatra brasileiro, autor de mais de 35 livros e com intensa participação na mídia. Entre suas obras, destacam-se: Amores perfeitos; A cartilha da nova mãe; Couraça muscular do caráter; Educação familiar e escolar para o terceiro milênio; A família de que se fala e a família de que se sofre; Formando agentes de transformação social; A inconsciência coletiva; Lições de amor; Meio século de psicoterapia verbal e corporal; Minha querida mamãe; O olhar; Sexo, Reich e eu; Sexo: tudo que ninguém fala sobre o tema; Sobre uma escola para o novo homem; Tratado geral sobre a fofoca; As vozes da consciência e Respiração, angústia, e renascimento (todos publicados pela Ágora).

 

Título: A estátua e a bailarina – 3ª edição revista

Autor: J.A. Gaiarsa (1920 – 2010)

Editora: Ágora

Preço: R$ 105,20 (Ebook: R$ 69,30)

Páginas: 336 (14 x 21 cm)

ISBN: 978-85-7183-298-5

Atendimento ao consumidor: (11) 3865-9890

Site: www.summuseditorial.com.br 

Museu da Energia de São Paulo recebe exposição fotográfica acessível

Divulgação

Com o objetivo de dar destaque a PcD e apresentar recursos de acessibilidade para atividades culturais, "O ato fotográfico acessível, subversivo e sua transversalidade cultural" fica na capital até janeiro de 2022

O Museu da Energia de São Paulo, gerido pela Fundação Energia e Saneamento, recebe a exposição "O ato fotográfico acessível, subversivo e sua transversalidade cultural", que fica na capital paulista até o dia 7 de janeiro de 2022. Depois, a mostra segue para o Museu da Energia de Itu.

Com curadoria de João Kúlcsar e curadoria de acessibilidade e consultoria de Edgar Jacques, a exposição tem o objetivo de dar destaque a pessoas com deficiência, além de apresentar os recursos de acessibilidade que podem ser aplicados em diferentes atividades culturais.

O projeto, selecionado no PROAC 09/2020 (edital de apoio à produção de exposições inéditas de artes visuais de São Paulo), expõe retratos de PcD representando diferentes modalidades artísticas e culturais. As imagens foram feitas pelos fotógrafos Alex Gimenes e Renan Nakano com a missão de apresentar a fotografia e as artes como instrumentos de inclusão.

"O ato fotográfico acessível, subversivo e sua transversalidade cultural" conta com recursos de acessibilidade como mapa, sinalização e piso podotátil, vídeo-guia e texto de curadoria em LIBRAS, fotografias, objetos e esculturas táteis, audiodescrição e audiomediação, disponíveis em QRcodes e dispositivos para uso individual. A entrada de cão-guia é permitida e o uso de máscara, obrigatório.

Ao longo da exposição, serão realizadas ainda diversas atividades gratuitas e on-line para abordar temas como acessibilidade e inclusão. Entre os convidados e palestrantes, já estão confirmados o ator Edgar Jacques, o professor de teatro Arthur Baldin, a terapeuta ocupacional especialista em acessibilidade Desirée Nobre Salasar e membros do Coletivo Desvio Padrão, cujo objetivo é dar visibilidade a artistas com deficiência.

 

Serviço

Exposição "O ato fotográfico acessível, subversivo e sua transversalidade cultural"

Período: 23 de outubro de 2021 a 7 de janeiro de 2022

Horário: De quarta a sábado, das 11h às 17h, mediante agendamento

Local: Museu da Energia de São Paulo - Alameda Cleveland, 601, Campos Elíseos - São Paulo/SP

Mais informações: (11) 3224-1489/ (11) 99169-8531 (WhatsApp)


Sobre a Fundação Energia e Saneamento

Desde 1998, a Fundação Energia e Saneamento pesquisa, preserva e divulga o patrimônio histórico e cultural dos setores de energia e de saneamento ambiental. Atuando em várias regiões do Estado de São Paulo por meio das unidades do Museu da Energia (São Paulo, Itu e Salesópolis), realiza ações culturais e educativas que reforçam conceitos de cidadania e incentivam o uso responsável de recursos naturais, trabalhando nos eixos de história, ciência, tecnologia e meio ambiente.

EMPRESA MANTENEDORA DA FUNDAÇÃO ENERGIA E SANEAMENTO

CESP

PATROCINADOR MASTER

CTG Brasil 

PATROCINADOR

Comgás - Companhia de Gás de São Paulo

Instagram: @museudaenergia