sexta-feira, 4 de maio de 2012

11º Nabor Pires Camargo - Instrumentista - Indaiatuba - SP

Divulgação

O talento e destreza musical do paulistano Hercules Gomes no piano encantaram o público e os jurados que o classificaram como primeiro colocado no 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista, realizado na última sexta-feira (dia 27) no Instituto Deco20. Em apresentação solo, o pianista tocou Vá carregar piano, de Nabor Pires Camargo e Corrupião, de Edu Lobo. Natural de Vitória (ES), Gomes já se apresentou em importantes festivais de música no Brasil e exterior, como o Festival Internacional Jazz Plaza, em Cuba, o Brasil Instrumental, em Tatuí (SP) e o Cascavel Jazz Festival, em Cascavel (PR). Atualmente integra o quarteto Amanajé e outros grupos musicais.
O segundo lugar ficou com o piracicabano Rafael da Silva Barros, que apresentou no cavaquinho as canções Lá vem chuva, de Nabor Pires Camargo e Um Tom para Jobim, de Sivuca e Oswaldinho. O músico aprendeu a tocar vários instrumentos com seu pai ainda na adolescência. Fez curso de MPB/Jazz no Conservatório de Tatuí e formou-se em música pela Universidade Metodista de Piracicaba. Integra o quinteto Dona Zaíra, que procura resgatar a música nordestina.
Pelo segundo ano consecutivo, o clarinetista Matteo Ricciardi, de Belo Horizonte (MG), conquistou a terceira colocação no prêmio, dessa vez tocando Comendo Fogo, de Nabor Pires Camargo e Chorinho em Aldeia, de Severino Araújo. Nascido na Itália, Ricciardi começou os estudos musicais na infância, tocando saxofone. Aos 14, começou a dedicar-se aos estudos eruditos e migrou do sax para o clarinete, ingressando no conservatório Giuseppe Verdi, de Turim, onde completou bacharelado e mestrado.
O quarto colocado da noite foi Wellington Guimarães Gama, de Uberlândia (MG). Sua apresentação no bandolim incluiu as canções Quanto dói uma saudade, de Nabor Pires Camargo e Fogo na Roupa, de Ary Duarte e Altamiro Carrilho. A menção honrosa foi concedida a Eduardo Guarnetti Johansen, de Bauru (SP), que tocou Na boa vida, de Nabor Pires Camargo e Ternura, de Sebastião Barros, no trombone.
Os jurados Mário Albanese, Francisco Araújo, João Alves da Silva (Bonfim), Silvio Santisteban e José Júlio Stateri avaliaram principalmente quesitos como técnica, fraseado, interpretação e sonoridade. O prêmio para o melhor músico foi de R$8 mil; o segundo colocado recebeu R$6 mil, o terceiro R$ 5 mil e, o quarto, R$4 mil. O homenageado com a menção honrosa recebeu um prêmio no valor de R$2 mil.
O 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista contou com 49 músicos inscritos, dos quais dez foram selecionados para a audição pública. A premiação foi apresentada pelo produtor e apresentador do Programa Chorinho Brasil na Rede Boa Nova de Rádio, João Tomás do Amaral e o show de encerramento, feito pelo vencedor da última edição do evento, o acordeonista Bruno Moritz, de Brusque (SC). Fonte: Kleber Patrício. EMT - Divulgação

Nenhum comentário: